e6195681c0b283288525bafc2067c844

A evolução das MÃES

MÃE PELA PRIMEIRA VEZ:

Desinfecta:
Chuchas, biberons e tetinas, tudo isso e ainda o que couber no esterilizador fantástico que uma das avós ofereceu.

Veste: 
Casacos, camisolas, interiores, gorros, collants e sei lá mais o quê…em pleno verão, o bebé só mexe os olhinhos, fica completamente enchouriçado e acaba por passar a vida a fazer aerossóis.

No saco do bebé: 
Fraldas, chucha extra, toalhetes, pochete com cremes e creminhos, pochete com termómetro e remédios (aero-om e benuron), duas fraldas de pano, babetes, inter comunicadores (pelo sim, pelo não), muda de roupa, mas mesmo assim o saco vai bem arrumado e cabe tudo lá dentro, muito ao nível do “Sport billy”.

Lava: 
Toda a roupa com um produto hipoalergénico, especial para bebés  e separado da roupa dos outros habitantes da casa ou seja, faz máquinas de roupa ridículas com 3 ou 4 peças de bebé.

Stressa porque: 
O bebé dorme muito ou dorme pouco; come muito ou come pouco; a respiração ruidosa ou silenciosa; tosse ou não sabe tossir; funga ou não sabe fungar; faz muito ou pouco cocó; o cocó é verde ou amarelo; dá puns ou porque os guarda só para ele; parece cansado ou não pára quieto; tem borbulhas aqui ou acolá…a lista é interminável.

Muda de fralda:
De duas em duas horas, mas vai espreitando cada xixizito para o livrar prontamente do mesmo.

Dorme:
Pouco ou nada e de vez em quando acorda em sobressalto, com medo de ter perdido algum acontecimento. No meio do escuro, acaba por dar uma estaladona no bebé, porque quer apenas verificar se a criança está a respirar bem. O bebé que dorme descansado, acorda aos gritos. O pai também acorda e passa atestado de “perfeita anormal” à mãezinha da criança (esta aconteceu-me mesmo!!!).

MÃE PELA SEGUNDA VEZ…


Desinfecta:
Chuchas e tetinas vão para o esterilizador (que já está cheio de calcário) apenas nos primeiros três meses, tudo o resto vai para a parte de cima da máquina da loiça.

Saco do bebé: 
Vai cheio até à inconsciência, mas não leva nada de jeito lá dentro, às vezes até há falta de fraldas ou de toalhetes ou uma fralda suja dentro de um saco de plástico: “Que hoje mesmo a deito fora!”.
Ahhh Ahhh, mas tem sempre o aero-om e uma chucha extra! É previdente!

Veste:
Um casaco no verão, um casaquito e um gorro no inverno, mas se o bebé fica arreliado, tira-lhe o gorro e pronto!

Lava:
As roupas das crianças todas misturadas, e às vezes engana-se e também põe umas coisas do marido (Por esta altura já percebeu que afinal tem três filhos!).

Muda de fralda:
Sempre que o bebé faz um cócózito, por vezes esquece-se dos xixis…

Dorme:

Dorme, mas ainda acorda com qualquer punzinho!

Stressa porque:
O mais velho apanhou uma virose; o bebé também apanhou a virose; os dois estão doentes e não podem ir à creche; tem que levar os dois ao médico e ainda passar na farmácia; faltou ao trabalho; tem que fazer os aerossóis a dois; prender um numa cadeira de papas ou num parque, para poder tratar do outro; dar a medicação certa e nas doses certas a cada um! Pergunta muitas vezes a si própria como é que fazem as outras mães… prefere enlouquecer em comunidade.

 

MÃE PELA TERCEIRA, QUARTA, QUINTA OU QUALQUER OUTRA VEZ …

Desinfecta:
É apenas uma palavra que só existe para quando se quer mandar alguém embora.

Saco do bebé: 
… ou mala da mãe é a mesma coisa e só tem uma fralda, uns mini toalhetes e lenços de papel.

Veste:
“Agora visto-me menos vezes de fato de treino”… estavam a falar de quem?

Lava:
Tudo junto e com o detergente do pingo doce que é óptimo e baratissimo!

Muda de fralda:
Quando cheira ou já arrasta pelo chão. Questiona-se com o facto de gastar muito menos fraldas com este do que com os outros e acredita que os outros faziam mais cócós e xixis.

Dorme: 
Sempre que pode e em todo o lado, até de pé ou encostada a uma parede. Acorda, bem, acorda porque o despertador tocou.

Stressa porque:
Os miúdos estão doentes; o pai dos miúdos ressona que nem um Pug (Cães que ressonam, roncam e fungam); não consegue dormir porque alguém chora ou ressona; dormiu pouco; os medicamentos são caríssimos; de certeza que vai ser despedida e porque à saída do restaurante, a chegar ao carro, reparou que o marido saiu de mão dada com os dois mais velhos, e ela… bem, ela vinha a falar ao telefone e deixou o bebé dentro do ovo, em cima da cadeira, no restaurante!


AS MÃES SÃO AS MAIORES!

na Up To Lisbon Kids

Imagem @elevendy

Inês de Santar

1655250_10152002918942794_1922161882_nINÊS DE SANTAR, Cascais, Escritora

Inês de Santar é a segunda de seis irmãos. Em 2009 começou a escrever o seu primeiro romance e, em 2012, revela publicamente o seu gosto pela escrita, com a abertura da página Inês de Santar.

Em 2013 edita o primeiro livro com a Junta de Freguesia de Cascais e Estoril, “Conversas da Nossa Terra”, histórias de vida de Cascais antiga e, pouco depois, com a IDEIA-FIXA, o livro  “PRAXE – O que os Pais Não Sabem sobre as Universidades” mais info.

Editará, ainda em 2014, também na IDEIA-FIXA, o romance «Amar-te-ei no Douro».

Como Mãe, foi impossível ficar indiferente ao que se passou no Meco. Foi-me lançado o desafio de aprofundar a questão, com alguns testemunhos de quem já passou pela praxe, de quem a viveu intensamente e de quem a evitou o mais que pôde, psicólogos universitários e ex-alunos aprofundam e lançam o debate: Como pais e educadores, haverá alguma forma de andarmos um passo à frente dos nossos filhos? Será isso necessário? Como fazê-lo?

Um livro que levanta uma questão relacionada com a educação que estamos a dar aos nossos filhos, as escolas e até que ponto é que deveremos fazer parte vigilante da vida de cada um destes jovens-adultos. Não sou contra a praxe, brinquem à vontade, com o intuito de integrar os novos alunos nas universidades, sem maldade. Sou apenas contra tudo o que possa humilhar e atentar contra aqueles que defendo até morrer, os meus filhos.”

Aceitei o convite da Up To Lisbon Kids no qual irei partilhar histórias, desabafos, opiniões e crónicas relacionadas com a educação e a vivência das famílias e afins.

A Bela…Cartaz 2A

A Bela É o Monstro

ESTREIA | 1 Março’14 | SÁBADO | 16H00 ●  2 Março’14 | DOMINGO | 11H00 ● @Teatro turim ● M/4 ● 5€/8€ ● Encenação Susana Farrajota ●

Depois do sucesso da primeira temporada, o espectáculo infantil “A Bela é um Monstro” volta à cena em Março, no Teatro Turim, em Lisboa. Uma obra que pretende mostrar que a verdadeira Beleza vem de dentro, que vale a pena lutar e trabalhar por aquilo em que se acredita e que não é aquilo que temos que nos define… é aquilo que somos!

“A Bela é um Monstro” conta a história de Bela – interpretada por Alexandra Rocha – uma linda Princesa do Reino de Calentina, que todos conhecem pela sua beleza ímpar. Bela é a mais formosa de todo o Reino, mas a sua beleza tornou-a numa pessoa muito feia, teimosa e caprichosa. Até que um dia, com uma pitada de magia, algo começa a mudar…

Venham descobrir o que acontece à Princesa Bela e ao Reino de Calentina, aos Sábados às 16h00 e Domingos às 11h00, no Teatro Turim, com Alexandra Rocha, Cristina Lopes, Inês Melo, João Canário, Nuno Miranda e Suzana Farrajota.

Em exibição de 1 a 30 de Março

Este slideshow necessita de JavaScript.

Contatos ● Teatro Turim  Estrada de Benfica, 723A, Lisboa  (em frente à Igreja de Benfica) ● Reservas e informações ● 93 8369495 ● 217 606 666 ● [email protected] ●