Arquivo de etiquetas: escuro

criança abusada constatar

O seu filho tem medo de ir dormir sozinho? 8 dicas para o ajudar

O medo é um sentimento intrínseco ao ser humano, tal como a alegria ou a desilusão, por isso é normal todas as pessoas terem medo. Nas crianças o medo faz parte da aprendizagem, e constitui uma parte importante do seu desenvolvimento.

O medo do escuro desenvolve-se normalmente a partir dos 2 ou 3 anos, mas antes dessa fase a criança já começou a construir o seu mundo através da exploração do imaginário, experienciando diversos sentimentos, incluindo o medo.

Durante a noite, na hora de ir para a cama, o medo apodera-se do seu filho: primeiro porque se sente desprotegido por ter de ficar separado dos pais; 2º porque assim que as luzes se apagam tudo o que é palpável e que ele conhece desaparece, dando lugar a que criaturas estranhas saiam debaixo da cama alegremente, só para o assustar.

Ensinar o seu filho a lidar com o medo durante a infância é fundamental para prepara-lo para o futuro.
Estas são 8 dicas simples, que são comuns à literatura especializada que foi por mim consultada:

  • Converse com o seu filho. Ouça-o e tranquilize-o.
    Compreender a origem dos medos das crianças é essencial para os podermos ajudar. Desmistifique os medos reais: se o seu filho tem medo de cães, mostre-lhe na internet vídeos de cães a brincar com os seus donos. Por vezes esse medo é fruto do desconhecido e, quanto mais familiarizados com o objecto do medo, mais seguros ficam em relação ao mesmo. Tranquilize-o sempre que esteja com medo. Reforce a ideia do sentido de segurança sempre que ele precisar.
    Converse com o seu filho sobre os seus medos durante o dia. Ajudá-lo a construir a sua autoconfiança à luz do dia, é meio caminho andado para fazê-lo sentir mais seguro à noite. E uma criança segura, irá tornar-se por certo mais autónoma.cjoyo5ket0m1mn29vqo9c00qb
  • Seja criativo, use técnicas adaptadas à idade do seu filho.
    Para combater medos imaginários, como monstros, extraterrestres e outros seres que, inexplicavelmente, teimam em habitar os quartos dos nossos filhos, seja criativo. Muitos Pais já aderiram ao “pulverizador antimonstro” por ser um sucesso para acalmar os mais pequeninos na hora de ir dormir.
    Os animais de estimação também são óptimos guardiões do sono e sonhos infantis. Até mesmo um aquário com peixes colocado no quarto, pode ajudar as crianças a controlar e dominar o seu espaço contra os seres imaginários.21
  • Nunca desvalorize os medos do seu filho.
    Os medos de uma criança são reais, ainda que os monstros não sejam. Desacreditá-los e desvalorizá-los só implicará que os deixe de partilhar consigo, mas o mal-estar interior e a ansiedade vai reflectir-se fisicamente através de falta de atenção, tiques, mãos transpiradas, dores de cabeça ou de estômago, entre outras. As crianças precisam da protecção dos pais, para se sentirem seguras e perderem os medos. Não os deixe perder esse direito.b061141b42d0797f3f3ced36f41a37df
  • Ajude a criar mecanismos de defesa e técnicas de relaxamento.
    A coragem não é a ausência de medo: é sim saber enfrentá-lo. Partilhe episódios seus de medos que tinha quando era mais novo e como os conseguiu ultrapassar. O seu filho vai entender que, se os pais enfrentaram os seus medos e estão bem, também a eles nada lhes irá acontecer. As técnicas de relaxamento farão com que o medo não se apodere dos seus pensamentos na hora de ir dormir: por exemplo, treine-o a visualizar uma cena relaxante, como estar na praia, assistir a um pôr-do-sol ou a observar as estrelas. Isso vai ajudá-lo a ter a mente ocupada afastando os pensamentos que o inquietem. Além disso é fisicamente impossível estar relaxado e assustado ao mesmo tempo.cama-contar-histórias-4
  • Estabeleça limites, regras e rotinas
    A coisa mais importante que podemos dar aos nossos filhos, além do amor incondicional, é a disciplina. De modo não fundamentalista, criar regras, estabelecer limites e seguir rotinas pode fomentar a criação dessa disciplina.
    A rotina é essencial para que tudo aconteça de acordo com as expectativas geradas na cabeça da criança, criando a desejável habituação. Este ciclo fará com que a criança se sinta protegida, reduzindo-lhe a ansiedade e proporcionado uma hora de ir para a cama mais tranquila.criança-dormir
  • Evite televisão em excesso durante o dia e mantenha-a desligada depois da hora de jantar.
    Hoje em dia, os miúdos adoram passar horas em frente à televisão e a oferta de programas infantis é permanente. A todas as horas do dia há canais dirigidos ao público mais novo, fazendo com que desde muito cedo as crianças dominem os comandos dos gadgets da casa. A televisão estimula a criatividade e a imaginação das crianças, fazendo com que isso se possa reflectir na ansiedade gerada na hora de dormir. Aproveite os momentos antes de ir para a cama para passar tempo útil com os seus filhos: leia uma história, façam jogos de palavras ou de tabuleiros, cantem em conjunto, ou simplesmente aproveitem para conversar.Captura-de-tela-2012-03-02-às-13.20.45
  • Peluches e ó-ós (bonecos de segurança)
    Ajude o seu filho a ficar ligado a um boneco que lhe transmita a segurança que precisa. Normalmente as fraldas, óós e afins, aparecem e fazem parte da vida da criança desde que nasce. Se esse não é o caso do seu filho, ofereça-lhe um boneco macio de alguma personagem de que gosta muito e todas as noites fomente a relação entre os dois, colocando esse boneco na cama do seu filho. Ele vai sentir-se mais acompanhado e relaxado e estará a pensar no boneco, desviando o pensamento dos assuntos que lhe criam ansiedade. (ler artigo sobre bonecos papa-medos)menina-dormindo-com-boneca
  • Luz de presença
    Chega uma altura em que o seu filho lhe pede uma luz acesa. A luz é uma óptima companhia e solução para acabar com alguns dos seus medos. O facto de conseguir ver o quarto todo faz com que os monstros não consigam sair debaixo da cama, e que os extra-terrestres não entrem no seu território, dando-lhe um sentimento de controlo e poder sobre o espaço que o rodeia. Isso deixa-o mais tranquilo e seguro. Deve também deixar as portas e gavetas dos armários fechadas, para não dar azo à imaginação.
    As luzes de presença, podem dar origem ao aparecimento de sombras que são tão assustadoras como a escuridão, por isso pode optar por deixar uma luz difusa, que vai tranquilizá-lo sem o prejudicar, até que seja mais velho. Um dia, há-de esquecer-se de pedir que deixe a luz, ou até dizer que já não precisa dela.Se o seu filho não tem medo do escuro e divaga pela casa a meio da noite, clique aqui

    me·do |ê|
    (latim metus, -us)
    substantivo masculino
    Estado emocional resultante da consciência de perigo ou de ameaça; reais, hipotéticos ou imaginários. = FOBIA, PAVOR, TERROR
    ["medo", in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa]

Bibliografia:

  1. Take Charge of Your Child’s Sleep: The All-in-One Resource for Solving Sleep Problems in Kids and Teens”, by by Judith A. Owens  and Jodi A. Mindell
  2. “O grande livro dos medos e das birras! de Mário Cordeiro
  3. outras fontes aqui e aqui
sorgenfresser-om-35-cm-plueschfigur-071413703

SORGENFRESSER | Papa-medos

[Sugestão de Natal da UP TO LISBON KIDS]

Li uma reportagem sobre estes bonecos na revista tentações, suplemento da revista sábado. A história da repórter podia ser contada por mim. O seu filho de 7 anos tem medo de dormir sozinho. Ela, quando viu os bonecos pensou o mesmo que eu: ”Isto não vai resultar…”  Um monstrinho com várias orelhas ou antenas, olhos assustadiços, e um fecho no lugar da boca, que permite abrir e fechar para as crianças encerrarem lá os seus medos por escrito ou através de desenhos? “Como é que isto vai funcionar?”… Mas uma mãe desesperada “não nega à partida uma ciência que desconhece”.
SAGGO MINI

 

Passo a explicar: o meu filho JM vai fazer 7 anos dentro de poucos dias, e não vai para a cama sozinho.  Toda a santa noite tenho de o ir deitar, e ficar lá até adormecer. Já tentei tudo o que possam estar a imaginar neste momento, até já lhe dei vitaminas e disse que era uma poção para tirar os medos, e não resultou. Sim, também já o deixei a chorar no quarto até adormecer: só serviu para aumentar os medos que tem do escuro, da morte e de perder os pais! ENNO GRANDE

Investiguei então um pouco mais sobre os Sorgenfresser. Estes monstros alemães, cujo nome significa literalmente “Papa-medos” prometem tornar-se no melhor amigo das crianças, um confidente a quem podem contar tudo por escrito ou por rabiscos. E eles encarregam-se de lidar com o problema, ou medo fazendo que a criança acabe por ultrapassá-lo com alguma segurança.
FRULA GRANDE Experimentámos, então, cá em casa. O meu filho gostou logo do boneco: eles são giros, coloridos, estranhos e aquele olhar deles dá largas à imaginação das crianças, de tão indefinido que é. Explicámos como é que funcionava, e ele já se mostrava ansioso por começar a guardar coisas no Riscas, o Destemido, conforme o baptizou.

Para nosso espanto, a primeira coisa que escreveu foi “Medo de fazer cambalhotas”, nem queria acreditar que estávamos a fugir ao grande problema. Depois sim, a seguir ao “Medo de fazer o pino nas barras” ainda escreveu mais dois papéis que diziam: ”Medo de estar sozinho” “Medo de morrer”.  Estava quase na hora de ir para a cama e comecei a tentar por em teste as capacidades do Riscas (se calhar foi cedo de mais).

ED GRANDE

A primeira coisa que o JM fez, foi abrir o fecho da boca do Riscas e verificar se ainda estavam lá os papéis…e claro estavam. “Mãe, acho que isto não vai resultar…” Tive de ir deitá-lo.
No dia a seguir resolvi acelerar o processo, abri o boneco e quando tentava escolher o papel mais importante para tirar percebi que o JM se aproximava, por isso tirei um qualquer e, ao fechar a boca à pressa acabou por se rasgar outro dos medos que arranquei pela metade, tendo deixado lá outra parte.

Qual não foi a sua alegria ao perceber que o Riscas tinha despachado um medo e meio. Já faz meia cambalhota, e passou automaticamente a ficar sozinho no quarto até à hora de ir dormir. Estamos a falar de um miúdo que não acredita no Pai Natal desde os 5 anos, e tem muita noção da fantasia e da realidade. Mas ainda não adormece sozinho. Esse será o próximo passo. Mas o facto de ficar sozinho na cama por 30min é um bom principio para se habituar a adormecer. E o mais importante é que ele acredita que vai funcionar, e que vai conseguir.

Veio dizer-me entre dentes: ”Mãe o Riscas é um boneco… ele não consegue comer papeis!”  E eu contei-lhe a verdade, com esta idade já não dá para mentir aos miúdos: “Não querido, ele não come papéis, ele apenas devora os medos e guarda os teus segredos para todo o sempre. A mãe é que tirou os papéis porque estavam muito amachucados e já não tinham nada escrito”
“-Ai não?” Disse pensativo com os olhos a brilhar.

SCHNULLI GRANDE
A B., irmã mais nova de 5 anos aproveitou para por lá os seus desejos de Natal. O Riscas funciona como um portal onde eles colocam tudo e as coisas acontecem: “se o JM deseja perder o medo, eu desejo receber presentes” Está certo, as meninas nestas coisas não deixam passar nada. O mais novo de 3 anos disse em voz alta “Medo do escuio” Fechou a mão ao som de um TCHEEEC, e atirou para dentro da boca do Riscas, também acompanhado do som “POFTSH”. Esfregou as mãos uma na outra e foi-se embora numa espécie de missão cumprida!

Por isso desengane-se quem acha que é um boneco para os mais velhos: todas as crianças gostam e adaptam às suas necessidades: ou contam segredos, ou pedem desejos, ou revelam medos.
Schmidtspiele85366
Para nós pais, serve como um portal para a cabeça deles e um pretexto para abordar os assuntos que os perturbam sem invadirmos a sua zona de conforto. Para as crianças é muito difícil verbalizar quais os seus medos, e nós queremos tanto ajudar! Cria-se um espaço emocional para falar sobre o que foi escrito ou desenhado, e o que realmente os assusta.

Cá em casa todos se renderam ao charme do Riscas, o Destemido, e segundo ele parece que o Pai Natal vai trazer Sorgenfressers para os mais pequeninos. O problema vai ser escolher um deles, porque dos 15 existentes não sei qual o mais giro!

Quanto a mim, pelo sim pelo não, já lá coloquei um papel a pedir saúdinha para o próximo ano!

123

Para mais informações:   ● 918786006 ●
Comprar aqui


OS SORGENFRESSER EM PORTUGAL
Em Portugal os Sorgenfresser chegaram recentemente pela mão da Devir e prometem tornar-se os melhores amigos das crianças um pouco à semelhança do que já acontece por toda a Europa.

O QUE É UM SORGENFRESSER?
O Sorgrenfresser é um monstrinho com um objetivo muito claro: guardar todas as preocupações e medos para proteger a criança até que esta se sinta pronta para enfrentá-los.

OS MONTROS DA BOCA- FECHO

São bonecos? São peluches? São os Sorgenfresser, sensação em toda a Europa. Os Sorgenfresser são 15 monstros que vêm da Alemanha e foram criados por Gerd Hanhns. Significam literalmente “devora-medos” e graças à sua boca-fecho comem os medos, e os receios das crianças… podendo ser realmente úteis a toda família. Os Sorgenfresser permitem guardar os problemas para que estes não incomodem os mais novos e funcionam como uma espécie de melhor amigo com quem as crianças partilham as suas emoções. Basta fazerem um desenho ou escreverem e colocarem o papel na boca do Sorgenfresser para se sentirem mais aliviadas e… felizes!

COMO CONSEGUEM FAZER ISSO?
A criança pode escrever ou desenhar aquilo de que não gosta e colocá-lo na boca do Sorgenfresser para que este o possa armazenar e assim conseguir tranquilizar essas emoções até ao momento oportuno para se conversar sobre elas.

QUAIS SÃO OS BENEFÍCIOS

- Ajudam gerir o medo em momentos pontuais
Os Sorgenfresser podem ajudar a superar os medos e receios  próprios da idade como o escuro, ruídos inesperados, fazendo com que as crianças se sintam apoiadas pela capacidade que os Sorgenfresser têm de temporariamente afastar esses medos.

- Ajudam a expressar emoções
Graças à capacidade dos Sorgrenfresser para se desfazerem temporariamente de emoções desconfortáveis através da escrita ou do desenho, a criança acaba por transmitir as suas emoções não só de forma verbal, conseguindo assim expressar mais facilmente aquilo que a faz sentir incómoda e que e às vezes é tão complicado de explicar aos adultos.

- Criam um espaço para identificar emoções
É através dos desenhos ou do que a criança escreve, e também do que expressa verbalmente que os membros da família podem ajudar a identificar as emoções para que a criança as possa reconhecer, dando-lhes um nome e saber como enfrentá-las em situações futuras.

- Criam tempo para se  falar sobre as emoções

O uso dos Sorgenfresser como um veículo de comunicação de emoções, permite não só à criança aprender a expressar e identificar essas emoções, como proporciona o momento perfeito para que a família converse sobre aquilo que a criança sente.

 -É útil para várias idades
Os Sorgenfresser podem ser usados na infância mas também na adolescência sobretudo como confidentes ou “guarda-segredos”.

MAIS INFORMAÇÕES:    ● 918786006 ●

 Conjunto Sorgenfresser_3