Arquivo de etiquetas: miúdos

Dia Verde

VERDE MOVIMENTO | Dia Verde

DIA VERDE   8 junho’14  | DOMINGO das 14h00 às 20h00 @Museu da Eletricidade ● Toda a familia ● GRATUITO ●

Amanhã, os jardins do ‪#‎museudaeletricidade‬ estão à sua espera. O Dia Verde vai trazer-lhe actividades gratuitas, mercadinhos, diversões para os mais pequenos. O tema? A sustentabilidade, um dos valores que muito prezamos. Contamos consigo.

Dia Verde - 8 Junho 2014Programa PAIS E FILHOS
programa
Consultar programa completo aqui

 

 

3

DOCS4KIDS: OLHOS FALANTES E BOCAS EXPECTANTES

ATELIER 7 junho’14 | SÁBADO | 11h00 ● @Cinemateca Júnior | Restauradores ● dos 5 aos 7 anos (acompanhado por adulto ● 120’ ● 15€/Criança + Adulto | 5€/Criança extra ● Orientação: Maria Remédio ●

No dia-a-dia vemos muitas caras novas, e outras que já conhecemos. Todas elas têm histórias para contar, dentro e fora das bocas e das orelhas que vemos com os nossos olhos!

O cinema documental guarda caras e histórias de muitas pessoas que passaram pelo mundo, ou que ainda aqui moram. Neste atelier vamos ver alguns documentários de diferentes épocas e modos de filmar, e vamos construir o nosso próprio filme através do desenho e do vídeo!

O que dizem os nossos olhos? Que palavras se soltam da nossa boca?

Data limite p/ inscrições: 5 de Junho ● [email protected] | 938701689 ou 218883093 ●

Cinemateca Júnior ● Palácio Foz – Pç. dos Restauradores, 1250-187 Lisboa ●

Bubbles

A Psicomotricidade como precursora de um desenvolvimento FELIZ

A psicomotricidade nasce com o bebé.

Ela nasce no início de tudo e acompanha-nos durante toda a nossa vida.

Está no bebé quando ele vivencia as primeiras sensações e emoções, está nos primeiros passos, na bola que é chutada com demasiada força, nos dedos e nas primeiras palavras…

A psicomotricidade nasce no corpo, na motricidade.

O corpo é um instrumento primordial na comunicação e nas primeiras experiências com o mundo externo e interno. O corpo é o meio para a actividade, para o conhecimento e as relações, sendo que as experiências corporais dos bebés interferem na sua vida mental e cognitiva, afectiva e motora.

O conhecimento do mundo começa, portanto, pelo corpo e pela sua acção.

Numa perspectiva mais prática e profissionalizante, a Psicomotricidade funciona como uma terapia de mediação corporal que é aplicada numa vertente preventiva e educativa ou mesmo terapêutica. No primeiro caso, a Psicomotricidade actua como promotora do desenvolvimento global do bebé e da criança.

Ora vejamos algumas actividades que poderão fomentar o desenvolvimento do bebé e criança, tendo por base objectivos psicomotores.

-        Com uma bola de praia, experimente rolá-la sobre o corpo do bebé. Refira os nomes das partes por onde vai passando. Esta actividade permite que o bebé vá consolidando a sua noção corporal e a noção de que é um corpo separado do da mamã.

-        Quando o bebé já é capaz de se sentar, pode ser colocado nesta posição em cima da mesma bola, estimulando o movimento de saltar, o que promove o desenvolvimento do equilíbrio dinâmico do bebé.

-        Depois do primeiro ano de idade, incentive o seu bebé a rolar a bola com intencionalidade (para si, por exemplo). Esta actividade irá aperfeiçoar as competências da motricidade global da criança, bem como a coordenação olho-mão ou olho-pé.

-        Depois dos dois anos de idade, as crianças adquirem a competência de atirar uma bola e, mais tarde, de a apanhar. Este jogo para além de ser uma excelente oportunidade para socializar com o seu filho, permite, ainda, que este desenvolva a noção espacial.

-        Fazer bolinhas de sabão é uma actividade super interessante, relaxante e que entretém todos: miúdos e graúdos! As bolinhas de sabão permitem o desenvolvimento de competências visuais, como a de acompanhar um objecto com o olhar, para os bebés até aos 8 meses. Nos bebés mais crescidos, esta actividade é excelente para estimular a coordenação olho-mão (para alcançar as bolinhas) e ainda o desenvolvimento da compreensão da relação causa-efeito, porque ‘Eu toco na bola e…oh! A bola rebenta’.

-        Mais tarde, o acto de fazer bolinhas irá incentivar as crianças a rebentá-las ou apanhá-las, estimulando, por sua vez, a sua motricidade global, bem como a sua noção corporal. Até o desenvolvimento da linguagem está presente! Utilize conceitos opostos como ‘bolas grandes e pequenas’, ‘estão lá no alto e agora cá em baixo!’.

No Gymboree não desejamos mais do que aquilo que deseja para os seus pequeninos: uma vida FELIZ.

E uma vida feliz inicia-se através de uma abordagem parental que inclua muito carinho, muitas experiências e brincadeiras, num clima sempre positivo. Até porque estudos científicos bastante recentes demonstram que o desenvolvimento do cérebro é extremamente influenciado pela qualidade e quantidade de experiências precoces que os bebés vivenciam: quando um bebé nasce, apenas 25% do seu cérebro está desenvolvido, mas, por volta dos 3 anos de idade, cerca de 90% do cérebro atinge a sua maturação! E para alcançar o seu potencial máximo, o Gymboree apresenta a sua filosofia de brincar com intencionalidade, demonstrando que a melhor forma de aprender é através do corpo, do movimento e do brincar, sendo que a Psicomotricidade tem um papel preponderante em todas estas conquistas.

Obviamente que os pais estão sempre presentes e beneficiam de toda esta abordagem. Há algo melhor do que ver o seu filho a descer um escorrega sozinho pela primeira vez ou vê-lo a sorrir quando recebe um beijinho do Gymbo?

Os pais são os primeiros e os mais importantes professores que qualquer criança pode ter. Contribuir para a sua psicomotricidade, para além de ter implicações no desenvolvimento emocional, físico e cognitivo da criança, promove, igualmente, o fortalecimento do vínculo afectivo.

Venha comprovar tudo isto e ainda mais no programa Play&Learn do Gymboree!

Por Catarina Ferreira, Psicomotricista, Professora Gymboree
para Up To Lisbon Kids

Gymboree,
Surgiu em 1976 com uma ideia: promover o rápido desenvolvimento do corpo e mente da criança, ao mesmo tempo que se prepara para a vida.
Com o envolvimento dos pais e cuidadores, pretendemos ensinar-lhes novas formas de incentivar a criança a resolver problemas, a pensar criativamente, a ganhar auto-estima e a crescer para que possam continuar a aprender sozinhos.
3

King Kong – Quem é o Monstro?

ESPETÁCULO  DE MARIONETAS   1 Junho’14  | DOMINGO 11h30 // 16h00 ● @Teatro Nacional D. Maria II | Salão Nobre ● M/6 ● GRATUITO ● 45’ ●

O TNDM II celebra o Dia Mundial da Criança com um espetáculo que promove o encontro de toda a família em torno do teatro de marionetas. King Kong – Quem é o Monstro? recupera a criação de sonhos visuais, própria do teatro de marionetas, uma cosmogonia onde o maravilhoso está presente lado a lado com os monstros mais hediondos. Na sua génese e ainda atualmente, o cinema pede emprestadas as técnicas do teatro de marionetas para dar vida a inúmeras personagens fantásticas: Godzilla, Yoda, King Kong e muitos outros.
Esta é uma aventura para ser vivida no outro lado.

King Kong foi o primeiro filme com um monstro gigante que nasceu no cinema. Para este filme, foram utilizados bastantes efeitos especiais. King Kong faz parte da nossa cultura comum, o mito do selvagem livre de natureza desconhecida. O monstro contra a civilização. O puro contra o lucro. Reescrever esta história para uma peça de marionetas é um desafio. Torná-la pequena mas dar-lhe uma grande interpretação. Contar uma história ao ritmo de um filme, contar com os olhos do público como se fossem câmaras e utilizar os clichés do filme impressos nas suas mentes.

criação Yiorgos Karakantzas e Amândio Anastácio
direção artística Yiorgos Karakantzas
assistência de direção Ildeberto Gama
atores / manipuladores Amândio Anastácio e Susana Nunes
cenografia e marionetas Ildeberto Gama, Amândio Anastácio e Yiorgos Karakantzas
construção de marionetas Susana Malhão e Amândio Anastácio
construção de cenário João Evaristo Sousa
desenho de luz e máquinas de projeção João Sofio
música João Bastos
produção Susana Malhão
tradução e adaptação Adelina Cristóvão e Ildeberto Gama
coprodução Alma d’Arame e Anima Theatre

5

A Galinha Ruiva | Sessão especial Dia da Criança

TEATRO 1 Junho’14 | DOMINGO ● 11h00 ●@Teatro Bocage ● M/4 ● 7.5€/pessoa ●

Sessão especial “Dia da Criança”, com muitas surpresas!!

Os pintainhos estão famintos! A galinha ruiva parte em busca de comida, na quinta biológica onde vive. Como boa mãe-galinha que é, tudo faz para dar de comer aos seus filhotes.

Certo dia, tanto procurou, esgravatou e cacarejou que encontrou uns grãozinhos de trigo. O que ninguém sabia é que estes grãozinhos eram mágicos! Pois é, a galinha ruiva também não sabia, por isso decide plantá-los. Pede ajuda aos seus amigos: o gato moreno, o pato loiro e o porco careca, mas eles são tão preguiçosos que se recusam a ajudá-la – não estão dispostos a meter as mãos na lama nem as patas na poça.

A galinha ruiva, que é muito dedicada, trabalha de sol a sol e os seus amiguinhos observam-na espantados. Depois de plantar os grãozinhos mágicos que encontrou, as espigas crescem e a viagem começa. O gato, o pato e o porco, vão juntar-se à galinha ruiva nesta viagem fantástica, cheia de magia e surpresas.

Uma história sobre amizade, tolerância e dedicação, onde os animais terão de enfrentar as consequências dos seus actos, pois cada um colhe o que semeia. Na verdade, nenhum animal é uma ilha e a grande lição que os animais vão aprender é que trabalhando juntos viverão numa quinta melhor. Um tema lectivo obrigatório!

Father Watching His Infant Sleep

As meninas são mais apegadas ao pai do que à mãe?

As mães de meninas, mais cedo ou mais tarde, podem desenvolver alguns ciúmes da cumplicidade tão forte que pode existir entre pai e filha.

Mas o que estará por trás disso? “A princípio, todo bebé, independentemente do sexo, se identifica com a figura materna, que é seu primeiro objeto de amor”, afirma a psicóloga Ana Cássia Maturano. Porém, à medida que cresce, outras relações se tornam importantes na vida dela. Enquanto os meninos se identificam com o pai, as meninas espelham-se na mãe – o que faz parte da construção da identidade masculina e feminina, respectivamente.

No entanto, entre o terceiro e o quinto ano de vida com o desenvolvimento da sexualidade, surge também uma atração pelo progenitor do sexo oposto e, ao mesmo tempo, uma disputa com o do mesmo sexo.

Essa teoria, que foi descrita por Freud no século passado, é conhecida por Complexo de Édipo – uma alusão à história da mitologia grega em que o filho se apaixona pela mãe.

“Essa preferência, obviamente, não tem conotação sexual”, diz a psicóloga. Trata-se apenas da necessidade de atenção da criança de todos que a cercam.
Os pais devem intervir explicando à criança que o casal tem outro tipo de relacionamento – e isso não significa que ela seja menos amada.
Mas e no caso de famílias onde um dos pais não está presente?
É possível que a identificação ocorra com outras figuras paternas e maternas, até mesmo fora do ambiente familiar.

O problema é quando tanto o pai quanto a mãe reforçam o sentimento inconscientemente, em vez de combatê-lo de maneira positiva. Assim, a menina torna-se  na “filhinha do papá” e o menino, no “filhinho da mamã”.

Além de motivar rivalidade e/ou competição ou entre a filha e a mãe ou o filho e o pai para o resto da vida, tal comportamento pode interferir no amadurecimento da criança e, por consequência, nos futuros relacionamentos dela”, alerta Ana Cássia.

A menina, por exemplo, procuraria a figura do pai num companheiro. Mas é claro que, teorias à parte, a ligação mais forte com um dos pais pode perpetuar-se sem qualquer motivação psicológica, indicando apenas uma questão de afinidade.

Por Malu Echeverria, para Crescer.
Adaptado por up To Lisbon Kids

arraial-do-coração-v14-FB

Arraial do Coração 2014

SOLIDARIEDADE ATIVIDADE  1 Junho’14  |  DOMINGO ● 15h00 ● @Laranjeiras, Lisboa ● Toda a Família ● 8€/Criança dos 6 aos 14 // 12€/adulto // 30€/família (2 adultos + Criança dos 6 aos 14 anos) ● Preço do bilhete inclui comida à descrição e uma bebida à escolha ●

A 3ª edição do Arraial do Coração da Dê mais coração – movimento Daniela, irá realizar-se no dia da criança.
Haverá diversas actividades para toda a família, assim como muita música e o já tradicional porco no espeto.

 
Venha dar um novo significado ao dia da Criança ajudando as crianças do ICOR.
 
PROGRAMA
- Mùsica ao vivo;
- Tenda mistério;
-Tenda de histórias;
- Laboratório de química;
- Workshop de skate;
-Rifas e muita animação!

Neste evento será sorteado p uma estadia de 2 noites num hotel de 5 estrelas.

Quem puder e tiver roupa masculina para maiores de 7 anos para doar, estará a ser feita uma recolha para a SKAPE -  organização sem fins lucrativos, constituida por skaters e não skaters, com a missão de promover o skate através do ensino, da intervenção social junto de crianças e jovens em risco.

skape

Para adquirir bilhetes basta fazer uma transferência para o
NIB 0018 0003 2722 3296 0206 1 Santander Totta. Após a transferência envie o comprovativo para  
 ou por correio para a Rua Lucinda Simões, 12 B – 1900-305 Lisboa.
Leve o seu comprovativo para levantar o bilhete no dia do Arraial.
Siga a Dê mais coração no Facebook aqui
breastfeeding33

“Comerias aqui?” | Campanha pró amamentação em público

O assunto já não é novidade e tem sido polémico pelos vários cantos do planeta: amamentar em público ainda incomoda muita gente?

No ano de 2011, foi registado um caso numa na loja Target, no Texas, em que uma mãe foi impedida de amamentar no corredor. Os funcionários aproximaram-se e pediram que fosse amamentar para dentro de um provador, para que não incomodasse ninguém. 

Com base neste episódio, dois estudantes de design da University North of Texas, Wenske Jonathan e Kris Haro criaram uma campanha para apoiar a lei HB1706 do Texas, que concede direitos à amamentação em qualquer espaço público, e tentam sensibilizar as pessoas através da frase: “Comerias aqui?”

Desta forma, a campanha pretende levantar a discussão sobre os locais em que as mães são obrigadas a dar de mamar quando não lhes é permitido fazê-lo em público.

breastfeeding-1 breastfeeding-2 breastfeeding-3

 

 

Lei HB1706 do Texas

“The legislature finds that breast-feeding a baby is an important and basic act of nurture that must be encouraged in the interests of maternal and child health and family values. (…)

A mother is entitled to breast-feed her baby in any location in which the mother and the child are otherwise authorized to be.  A mother’s authority to be in a location may not be revoked for the sole reason that she begins to breast-feed.”

Cor da alegria

A Cor da Alegria

ATIVIDADES  24 Maio’14 [17 Maio’14  ] SÁBADO ● das 10h00 às 11h30  ● dos 3 aos 6 anos // dos 7 aos 12 anos ● @Just4Teens ● 10€/Criança // 15€Criança+Adulto ● Workshop de Yoga do Riso + Artes ● Marcação Prévia ●  Yoga do Riso – Ana Alegria
Artes – Isabel Cortes ● 

A Alegria perdeu a cor, e agora?
Que cor é que ela tem?
Vem connosco descobrir!

Com quanta alegria construímos as nossas vidas?

Como, quando e porquê rir?

A alegria pode ser um estado de espirito permanente, através do qual abrimos a mente a todo o seu potencial criativo, podendo assim trazer para a nossa vida muito do que sempre sonhámos.

Uma nova abordagem (Educação pela arte + yoga do riso) para que a nossa principal missão de vida (Sermos felizes!) possa ser uma obra de arte que começamos a criar desde pequeninos!

Yoga do Riso, a “ginástica da gargalhada”, é uma metodologia direccionada para o desenvolvimento de uma atitude positiva e criativa nas nossas vidas.

Esta sessão parte da ligação estreita entre mente e corpo, e da explicação sobre os benefícios do riso para a saúde.  O grupo é guiado num processo que implica movimento, contacto visual e empatia, através de jogos de conhecimento, confiança, cooperação, práticas de aquecimento do corpo, respirações, exercícios de riso, expressão plástica, meditação do riso e relaxamento.

Espaço Just4Teens, Azinhaga dos Barros, 27, loja 1, Laranjeiras, LISBOA ● [email protected] ● Roupa confortável ●

18-de-MAIO-novo-cartaz

Dia Internacional dos Museus e noite dos Museus

DIA ABERTO   17 + 18 Maio’14   Ver Programa ● Gratuito’●

Museus, palácios e monumentos da Direção-Geral do Património Cultural (DGPC), assim como um conjunto muito significativo de outros espaços, nomeadamente da Rede Portuguesa de Museus, desenvolvem programação diversificada para todos os públicos na Noite Europeia dos Museus17 de Maio e no Dia Internacional dos Museus18 de Maio

A programação pode ser consultada aqui, e envolve a participação de mais de 110 espaços patrimoniais do Continente e das Ilhas que disponibilizam mais de 550 atividades – inauguração de exposições, concertos de jazz e música erudita, sessões de cinema, peças de teatro e dança, workshops e ateliês educativos para jovens e séniores, sessões de poesia e apresentações de livros, visitas guiadas e encenadas, entre muitas outras

ambiental

Finalmente a Primavera! Vamos jardinar?

A Primavera que ansiávamos chegou! Assim parece, pelo menos! Precisamos todos de arejar: as casas, os miúdos, nós próprios!

Na Primavera os dias são muito próximos dos dias ideais: calor suficiente mas não em demasia, já anoitece mais tarde, roupas leves, o sol abraça-nos o rosto e, como as flores, apetece-nos desabrochar.

E agora, o que fazer? Está na moda, é económico, muito enriquecedor e relaxante e até pode facilitar o orçamento familiar: vamos jardinar!

Não vale a pena pensar que não tem jardim porque a nossa capacidade de adaptação é cada vez maior! Se tiver jardim, melhor ainda!

Como a Primavera desperta a natureza em todo o seu esplendor, é uma excelente altura para ensinarmos aos mais novos algumas coisas sobre a natureza: flores, árvores, frutos, aromáticas, é só escolher!

As opções são várias:

  • um viveiro de plantas nesta altura é excelente e pode passar lá uma tarde à vontade;
  • uma visita a um jardim botânico é maravilhoso;
  • o Jardim Tropical na Ajuda é fantástico;
  • um qualquer jardim municipal que esteja bem recheado de flores;
  • uma horta comunitária (são cada vez mais);
  • o horto municipal.

Vá e explore! Aprenda e ensine!

Se a opção for colocar algumas coisas lá em casa, mesmo não havendo espaço, hoje é possível produzir jardins em quaisquer 20 centímetros. Basta procurar na internet e encontra imensas sugestões e dicas do estilo: “cultive os seus legumes”, “plante um jardim na vertical”, “crie as suas ervas aromáticas”…

De facto, não é preciso muito espaço nem grande investimento. Basta pensar nas garrafas e garrafões de água transformados em vaso. Qual é a grande vantagem? Para além de conseguir realmente produzir algumas das coisas que consome em casa, os mais novos tiram daqui várias lições, sem necessitarem de muitas explicações.

Jardim-vertical-garrafa-pet

[email protected]

Percebem que a natureza exige tempo e calma: nada nasce e cresce
de um dia para o outro
.
Aprendem o processo do semear ao colher.
Percebem que as plantas precisam de atenção e cuidado.
Percebem o ciclo da vida.
Valorizam o que semearam.
Grande vantagem final: jardinar é para toda a família, dos avós, aos tios, aos pais, aos netos!

Vamos a isso? Eu já comecei! Um vaso cheio de alfazemas que já espreitam para fora da terra porque o sol a esta a chamar!

Por Patrícia Ervilha
para Up To Lisbon Kids

imagem [email protected]

 
PATRÍCIA ERVILHA
Leiria,  licenciada em sociologia e pós graduada em psicologia social e organizacional.Mãe de um rapaz de 7 anos.A escrita e o gosto pela escrita é antigo em mim. Gosto de escrever e ter motivos para escrever.

 

SHOT FOTOGRAFIA 32

O que eu mudava, se pudesse, enquanto mãe | Especial Dia da Mãe

Lembro-me como se fosse hoje daquele primeiro momento, do primeiro choro e da sensação que tive quando me tiraram o S. da barriga.

O momento em que passei assumidamente a ser Mãe, aquele em que cruzámos o olhar, os primeiros minutos da vida dele e os meus enquanto uma nova pessoa.O amor pelo S. começou assim que soube que estava grávida e foi aumentando todos os dias.

Lembro-me daquele momento em que soube que era um menino, do momento a partir do qual o meu filho deixou de se chamar “bebé” e passou a chamar-se Salvador.

Lembro-me dos pontapés na barriga, dos meses que passamos juntos num só corpo e dessa preparação para o papel mais importante da nossa vida enquanto mulheres: ser Mãe.

Lembro-me de repetir todas estas sensações quando engravidei da C., da alegria e da bênção de ter exatamente aquilo que queria, primeiro um menino e depois uma menina.

Lembro-me que o amor pelos dois não se dividiu, mas em vez disso mais do que duplicou, lembro-me da felicidade que senti quando também a C. nasceu e passei a ser mãe de dois em vez de um.

Agora que sou mãe há quase 6 anos e que espero o meu terceiro filho, sinto-me ainda mais feliz. Sei que este bebé vai multiplicar a minha felicidade enquanto Mãe, e a nossa enquanto família.

Sinto menos dúvidas e mais certezas, mas ainda assim, tudo continua a ser fascinante e o amor por este terceiro filho cresce a cada dia que passa.

Não me considero uma mãe perfeita nem é isso que desejo.

Quero ser uma mãe autêntica, uma mãe que ama incondicionalmente as suas crianças, uma mãe que ouve, respeita, que educa, que põe de castigo quando é preciso, que lhes dá beijinhos e abraços só porque sim e que lhes diz ao ouvido “gosto muito de si”.

Uma mãe que sabe que não é perfeita mas que não mudaria nada mesmo que pudesse.

Porque ser Mãe é errar e aprender com os erros, é crescer também a cada dia que passa com as conquistas dos nossos filhos, é querer ser melhor e uma inspiração para eles quando crescerem.

Por isso, quando me perguntaram há uns dias o que eu mudaria enquanto Mãe, se pudesse voltar a trás, eu respondi
“sinceramente, nada”.

Por Filipa Cortez Faria,
para Up To Lisbon Kids

Fotografia de capa @shot fotografia

 FILIPA CORTEZ FARIA,32 anos, dietista de formação, especializou-se no tratamento do excesso de peso e a nutrição clínica é a sua atividade principal. Desde que foi mãe, há 5 anos, apaixonou-se pela moda infantil e pelo mundo das crianças, e foi depois do nascimento do seu segundo filho, que decidiu criar o Blog My happy kids. Um blog de moda infantil e lifestyle, onde partilha as suas escolhas e os kits da C. e do S., de 3 e 5 anos, o crescimento de ambos e aborda outras temáticas, tais como a decoração infantil e a nutrição.

 

Blog My happy kids - http://fcfkidsdesign.blogspot.pt
Facebook - https://www.facebook.com/filipacortezfariakidsdesign
Instagram  -   http://instagram.com/myhappykids
Pinterest - http://www.pinterest.com/filipacortez

viagem

Viajar com filhos não é uma necessidade, mas na nossa vida, é uma prioridade | Especial Dia da Mãe

Viajar com filhos – pequenos e grandes – e gastar pouco dinheiro é possível ainda que seja um verdadeiro desafio.

A primeira questão é: quando viajar?

Para conjugar férias escolares com as melhores promoções viajamos sempre nas férias do Carnaval. Este ano, por exemplo, os voos de ida e volta para Copenhaga custaram cerca de 70 euros por pessoa.

Março não é o mês ideal para visitar cidades mais frias – na Dinamarca muitas das diversões fecham até Abril, o que tem um lado positivo porque vemos por fora e não gastamos dinheiro -, mas o frio resolve-se.

Se é o único adulto para várias crianças aposte nas mochilas – uma mochila para cada filho com um livro ou um brinquedo e um lanche para a viagem, e uma mochila tipo campismo para si com a roupa.

Três mudas de roupa, escovas e pasta de dentes, um gel de banho multiusos e um bom creme hidratante (a melhor proteção para o frio).

Aposte num bom casaco,luvas e gorro (ou chapéu se o destino tiver sol). Se tiver filhos com menos de três anos leve um sling ou um carrinho tipo bengala para os momentos de cansaço e para algumas sestas.

Onde ficar?

Há imensos sites onde pode alugar apartamentos particulares
- airbnb, homelidays, homeaway -, ou opte por apartamentos nos sites de reservas – como o booking.

As vantagens são todas: têm cozinha, têm máquina de lavar roupa, têm espaço, são mais baratos e têm quase sempre internet.

A desvantagem é não terem direito a pequeno almoço buffet, mas os miúdos dão sempre lucro ao hotel.

Escolha um alojamento no centro da cidade, aquilo que poderá ter de mais caro é o que vai poupar em transportes.

No primeiro dia, em jeito de reconhecimento do território, dê um pequeno passeio à volta de casa e vá ao supermercado. Faça compras como se estivesse em casa, a ideia é tomar um bom pequeno almoço e um jantar quente em casa, sair cedo e regressar cedo, aproveitando a luz do dia.

Nas mochilas tem que haver sempre comida: fruta descascada, cenouras cruas, bolachas sem ingredientes que sujem, ovos cozidos, sandes e água.

O que visitar?

As crianças não pagam nos museus e todas as cidades têm museus fabulosos. Andem a pé pela cidade e observem a arquitetura e os pormenores.

Arranje vários mapas grátis e deixe que os miúdos risquem os percursos e escolham lugares onde querem ir.

Antes da viagem faça uma lista dos sítios onde quer ir, mas tenha em conta que é apenas uma referência porque viajar com miúdos – e o segredo serve para tudo na vida – implica baixar as expectativas.

Não vamos conseguir ver a cidade como faríamos se estivéssemos sozinhos, com amigos ou em casal, mas vamos ter experiências inesquecíveis.

Cá em casa já sabem que nem sequer entramos em lojas. Mas o mais velho pôde escolher uma recordação para comprar.

Da Dinamarca veio a garrafa de uma bebida tradicional e uma pedra. Não veio mais porque , apesar de as pedras serem grátis , ele sabe que tem de transportar o que compra na sua mochila.

É outra regra a contribuir para a poupança.

 LUA_9987CATARINA BEATO | Dias de uma princesa

Nascida em Lisboa. Criada em Almada, no “lado esquerdo do Tejo, no lado certo da vida”. Aluna de cadernos irrepreensíveis e um medo irracional que me passassem a bola. Cheia de certezas absolutas, perdidas na idade adulta. Trabalhei em (quase) tudo. Trabalhei muito. Fui estagiária e escrevi legendas. Viajei e escrevi manchetes. Perdi-me , reencontrei-me, voltei a perder-me. Fiquei desempregada. Decidi (re)aprender a viver.Produzo conjugações de caracteres com muitas formas. Alimento um diário que se tornou público e que me aquece aquilo a que chama alma [Dias de uma princesa]. O que mais gosto: escrever histórias. Histórias de amor. Seja qual for a forma de amar.Sou mãe, apaixonada, orgulhosa, galinha e chata, de dois rapazes. Sou a mesma miúda de Almada que ouvia músicas em repeat num quarto desarrumado com vista para o Tejo. Sou suburbana, mimada e menina-do-meu-pai. Sou mãe. É essa a minha essência.

 

convite

O Rei Inchado

LANÇAMENTO DO LIVRO   3 Maio’14   SÁBADO   16h00 ● @Livraria Cabeçudos ● toda a família ● por Máquina de Voar

A primeira Feira de Vaidades do reino estava a ser um sucesso. Havia de tudo: brilho da lua para pôr nos olhos baços, talentos que davam frutos sem esforço, rabiotes jeitosos e barrigas lisas. Não havia vaidade que não pudesse ser ali comprada.

O rei, vaidoso por fraqueza e convicção, não resistiu e comprou tudo. Não ficou uma para amostra. Com tanta vaidade para vestir, para pôr e tirar, o monarca começou a inchar, a inchar até que… se ergueu do chão como um balão. Era algo nunca visto! Um assombro.

Concorra ao passatempo e ganhe um dos 3 exemplares, aqui!

O Rei Inchado
Editor: Máquina de Voar
Texto: Maria João Lopes
Ilustrações: Catarina Correia Marques
40 páginas; capa dura
1ª edição: maio 2014
PVP: 10,60 € (IVA incl. 6%)
ISBN: 9789899836143

●Rua António Lopes Ribeiro ● 7A ● 1750-312 Lisboa ●

6

Páscoa Divertida no Zoo de Lisboa

ATIVIDADES E ANIMAIS  20 Abril ‘14 | DOMINGO Das 10h00 às 20h00 ● @Jardim Zoológico de Lisboa ● Pago M/2 | 13€/Criança | 18.5€/Adulto ●

O Jardim Zoológico irá celebrar a Páscoa mais selvagem do País. O dia é de festa, por isso, são muitas as atividades pensadas para miúdos e graúdos. Traz muita energia, boa disposição e prepara-te para um dia em cheio.

A animação começa logo depois das bilheteiras com coloridas pinturas faciais. Entre coelhinhos, animais selvagens, príncipes e princesas, basta escolheres em que personagem te queres transformar.

E, porque as crianças são a alegria de qualquer festa, o Jardim Zoológico preparou um Workshop com Ovos de esferovite, onde os mais pequenos vão poder mostrar que são verdadeiros artistas e pintar os seus Ovos da Páscoa.

Neste dia cheio de emoções, o que não podia mesmo faltar é a tradicional e divertida Caça ao Ovo. Os mais pequenos vão transformar-se em verdadeiros coelhinhos para encontrarem os deliciosos Ovos da Páscoa que o Rik e Rok esconderam no jardim. A Caça ao Ovo terá duas sessões, às 12h00 e às 16h00, nos Jardins do Conde de Farrobo.

O coelhinho mais rápido, o coelhinho mais simpático e o coelhinho que conseguir apanhar mais ovos vão ter direito a um Super Ovo de chocolate.

Junta a família e aproveita o dia para visitar as tuas espécies favoritas. No Jardim Zoológico estão cerca de 2000 animais de 330 espécies prontos para partilhar contigo momentos únicos de aprendizagem e diversão.

Entra no espírito selvagem e celebra a Páscoa no Jardim Zoológico com muitos sorrisos e diversão! A família selvagem está à tua espera para comemorar.
Informaçãos ● http://www.zoo.pt/ ●